Estudo 04 - O Mistério do Evangelho - Estudos Bíblicos Adventistas

Estudos Bíblicos Adventistas
Ir para o conteúdo

Estudo 04 - O Mistério do Evangelho

Mistérios do Apocalipse
Já ouviu você falar do Evangelho do Apocalipse? Já ouviu falar do Mistério do Evangelho?

Sempre lembrando que na Bíblia a palavra “mistério” se refere a uma verdade que estava oculta, mas que foi revelada, embora nem sempre podemos compreender os seus significados mais profundos.

Evangelho significa “Boas Novas”, boas notícias salva­doras da parte de Deus. O  Apocalipse nos revela toda a beleza do amor de Deus ao salvar o pecador.

1. Como é chamado o Evangelho no Apocalipse?

Ap 10:7: Mas, nos dias da voz do sétimo anjo, quando ele estiver para tocar a trombeta, cumprir-se-á, então, o mistério de Deus, segundo ele anunciou aos seus servos, os profetas.

Aqui temos o Mistério do Evangelho no Apocalipse. O Plano de Salvação idealizado por Deus é chamado de Evangelho. No contexto da 7ª trombeta, de 1844 a esta parte, até o fim do tempo do fim, se cumprirá o mistério de Deus, que Ele anunciou aos Seus profetas. E quando o Evangelho se cumprir, então, virá o fim do mundo. Disse Cristo: “E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim.” [Mt 24:14].  

Portanto, João chama o Evangelho de Mistério de Deus.  O apóstolo Paulo em Efé 6:19, o chama de “mistério do evangelho.” É um mistério, mas já foi revelado.

2. Por que o Evangelho é um mistério?

1Co 2:14: “Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.”

O Evangelho é um mistério porque não pode ser entendido pelo homem natural, porque ele é natural, e o Evangelho é espiritual e se discerne espiritualmente. O Evangelho é um conhecimento incompreensível pela mente humana.  

De que modo isso é possível? Nicodemos estava diante de Jesus e ficou surpreso com as palavras do divino Mestre e não podendo compreender as coisas espirituais, perguntou-lhe: “Como pode ser isto?” Ele não podia compreender o mistério do Evangelho.

Cristo havia dito: “O que é nascido da carne é carne; o que é nascido do Espírito é espírito. Não te admires de Eu te dizer: Importa-vos nascer de novo.” [Jo 3:6-7]. Nicodemos não havia entendido que o Evangelho se entende espiritualmente. Portanto, temos que ser pessoas espirituais, nascidas do Espírito Santo, a fim de podermos entender o mistério do Evangelho.
3. Por que o Evangelho foi necessário?
Satanás é chamado de “antiga serpente”, em Apo 12:9, porque se disfarçou em uma bela serpente que falava, e encantando a Eva, seduziu-a ao pecado, e ela a Adão. Então, o pecado foi transferido para este mundo.

O apóstolo Paulo resumiu esta situação nestas palavras: Rom 5:12: “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.”

Então, vieram os resultados. O pecado nos separa de Deus, degenera a natureza, escraviza o homem, e traz a morte.

Daí, surgiu a necessidade do Evangelho, preparado muito antes de surgir o pecado no mundo. Então, Cristo Se dispôs e veio a esta Terra, e morreu na Cruz do Calvário, derramando o Seu sangue, e pagando o preço por nossos pecados. “E, pelo seu sangue, nos libertou.” [Apo 1:5].

4. Qual é o mistério do Evangelho?

Apo 3:20: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo.

Paulo disse que o mistério de Deus é Jesus Cristo [Cl 2:2]. Este é o mistério do Evangelho: Cristo, o mistério de Deus, pode entrar em nosso coração. Ele é representado no Apocalipse como estando a bater à porta de nosso coração e, pasmem, o grande Deus, Jesus Cristo, a Majestade do Céu, está pedindo entrada. Não podemos compreender esta grande condescendência do seu imenso amor.

O apóstolo Paulo apresenta esse mesmo mistério, dizendo, em Col 1:27: “Deus quis dar a conhecer qual seja a riqueza da glória deste mistério entre os gentios, isto é, Cristo em vós, a esperança da glória.” Paulo está confirmando o segredo do Evangelho no Apocalipse: Cristo em nós, a Esperança da glória. João disse no Ap 3:20: “Cristo bate à porta do seu coração, e pede entrada.” Paulo disse: “Este mistério é Cristo em vós, a Esperança da glória.”
O homem pecador deixa Cristo entrar em seu coração e Ele habita dentro do crente. Como podemos entender isto? Uma pessoa que não crê na Bíblia vai dizer que estamos loucos ou sonhando acordados com algo que não existe.

Ademais, note bem o que Paulo disse em Efé 3:17: “Habite Cristo no vosso coração, pela fé.” Mas como pode Cristo habitar em nosso coração? Isto é pela fé. Você precisa ter fé em Deus e fé em Jesus Cristo. Ele disse: “Credes em Deus; crede também em Mim.” [Jo 14:1]. Está bem, eu creio, mas ainda não posso entender. Então, perguntamos como Nicodemos: “Como pode ser isto?” Bem, não é para entender. É para crer. Depois disso, você vai sentir, e entender.

Como podemos compreender este mistério, afinal? Há mais explicação? Sim; o mesmo apóstolo Paulo que disse: “Habite Cristo no vosso coração”, disse em Col 3:16: “Habite, ricamente, em vós a Palavra de Cristo.” Agora, as coisas vão se esclarecendo. Quando a Bíblia diz “coração”, quer dizer a nossa “mente”.

Habitar Cristo em nosso coração é termos a Palavra de Cristo, a Palavra de Deus em nossa mente, em nosso intelecto, porque a nossa mente é a sede de nosso intelecto, vontade, e sentimentos. Quando enchemos a nossa mente da Palavra de Deus estamos enchendo o nosso coração de Cristo, Ele passa a habitar em nós. Este é o mistério. De repente, todas as coisas se transformam em nossa vida.

Então, podemos agora, perguntar:

5. Qual é o poder do Evangelho?

Rom 1:16: “Não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê.

Paulo estava embevecido, completamente encantado diante das glórias do evangelho de Cristo, que é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê.

O Evangelho é o poder de Deus que alcança um ladrão e o transforma num homem honesto.

O Evangelho é o poder de Deus que toca um assassino e o converte num homem cheio de amor.

O Evangelho é o poder de Deus que envolve uma mulher perdida, levanta-a e a transforma, dando-lhe a pureza de vida.

O Evangelho é o poder de Deus que converte o ébrio num homem sóbrio.

O Evangelho é o poder de Deus que transforma um viciado em drogas em um homem virtuoso.

O Evangelho de Cristo é o poder de Deus que muda a você e a mim.

6. Qual é o característico principal do Evangelho?

Ap 14:6: “Vi outro anjo ..., tendo um evangelho eterno para pregar...”

Este é o grande característico. Para que pudéssemos saber de que Evangelho Deus está falando, a revelação declara que é o “Evangelho eterno”. O que significa isso?  

O Evangelho é eterno porque foi idealizado por Deus já na eternidade. Em Apo 13: 8, lemos acerca do “Cordeiro que foi morto, desde a fundação do mundo”. Aqui temos a base e fundamento do mistério do Evangelho: o Cordeiro foi morto desde a fundação do mundo.

Quem é o Cordeiro? Disse João Batista em Jo 1:29, dirigindo-se a Cristo: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.” O Cordeiro é um símbolo de Jesus Cristo  mencionado 26 vezes, no Apocalipse. Este símbolo é uma joia preciosa do santuário terrestre, em que eram oferecidos cordeiros para a expiação do pecado, e apontavam para Cristo que haveria de morrer na Cruz.

Mas como podemos entender que Ele foi morto, desde a fundação do mundo? Não foi Ele morto no ano 31 EC?

Este é o mistério: As coisas de Deus são tão certas que Ele propõe o Seu Plano de Salvação e já o considera como certo. No grande Concílio celeste, antes da fundação do mundo, Se reuniu a Trindade e decidiu que a Segunda Pessoa, Jesus, seria morto pelo homem. Então, Ele foi considerado por Deus como já estando morto, porque para Deus não Se conta o tempo. Tudo para Ele é um eterno presente. Por isso, o Evangelho é eterno: foi concebido ainda na eternidade, antes deste mundo ser criado.

O apóstolo Paulo, descrevendo o mistério do Evangelho, disse em 1Cor 2: 7 “Falamos a sabedoria de Deus em mistério, outrora oculta, a qual Deus preordenou desde a eternidade.”

Mas há outra razão por que o Evangelho é eterno: Não é um evangelho barato, não é um evangelho truncado, não é um evangelho de verdades e falsidades misturadas; é o Evangelho eterno. Ele não muda; é sempre o mesmo. Muitos estão pregando que no Antigo Testamento as pessoas eram salvas pelas obras da Lei, e que no Novo Testamento as pessoas são salvas pela graça. Então, para eles o Evangelho mudou.  
Mas isto não é o que ensina a Bíblia. Em Gên 3:15, Adão e Eva já receberam o Evangelho da graça de Deus. Em Gên 6:8: “Noé achou graça diante do Senhor.” Mas note estas palavras de Davi, no Sal 6:4: “Volta-te, Senhor, e livra a minha alma; salva-me por tua graça.” Isto é salvação pela graça no Antigo Testamento.

Mas o que diria Moisés que nos deu a Lei? Note o que ele diz, no Sal 90: 17, de sua autoria: “Seja sobre nós a graça do Senhor, nosso Deus.” Não é interessante? O próprio homem enviado por Deus para nos dar a Sua Lei, no monte Sinai, está confiando não na Lei para a sua salvação, mas confia na graça de nosso Senhor, a ser revelada no monte Calvário.

Portanto, o Evangelho eterno não muda porque Deus não muda. Em Mal 3:6, lemos: “Eu, o Senhor não mudo.” “Jesus Cristo é o mesmo ontem e hoje e eternamente.” [Hb 13:8]. Por isso o Seu Evangelho é eterno e não muda, e a Sua Lei também é eterna e não pode mudar. Todos os homens serão salvos pela graça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, pelo poder do Espírito Santo.

Mas, não é que muitos pensam que Deus anulou, mudou, aboliu a Sua Lei? Ora, assim como o Evangelho é eterno, a Lei de Deus também é eterna. Aliás, o Evangelho  veio depois da Lei que sempre existiu, enquanto que o Evangelho é uma provisão posterior à Lei. Mas a Lei é eterna no sentido lato da palavra.

Disse o salmista Davi: “A minha língua celebre a tua lei, pois todos os teus mandamentos são justiça.” “A tua justiça é justiça eterna, e a tua lei é a própria verdade.” Sal 119:172, 142. E diz mais: Sl 111:7-8: “Todos os ... mandamentos [de Deus] permanecem firmes para todo o sempre.”
Disse o apóstolo Paulo, confirmando a Lei em Rom 3:31: “Anulamos, pois, a lei pela fé? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmamos a lei.”
Mas a confirmação mais esperada é a palavra de Cristo Jesus, que disse em Mt 5:17: “Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir.” “E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til sequer da lei.” [Lc 16:17].

7. Por que não pode existir um Evangelho sem Lei?

1Jo 3:4: João, o autor do Apocalipse, disse que “o pecado é a transgressão da Lei”; mas, se tirarmos a lei, onde fica a transgressão? Paulo completa, dizendo: “Onde não há Lei, também não há transgressão.” [Rm 4:15].

Portanto, sem Lei, não existe pecado. Sem pecado, não existem pecadores. Sem pecadores, não há necessidade de salvação. Sem salvação, não existe Salvador. Sem Salvador, não existe Evangelho. Mas, perguntamos: Onde fica o Evangelho eterno? Evangelho sem Lei é um evangelho truncado; é um erro misturado com a verdade, incompleto.

Portanto, o Evangelho eterno precisa da Lei eterna que cumpre a função de revelar o pecado [Rom 3:20], e apresentar a norma de justiça [Sal 119:172], bem como o critério pelo qual seremos julgados [Tia 2:12], segundo o qual haveremos de andar, depois de sermos transformados pelo Evangelho [1João 2:4,6].

Mas: Não foi dito que o mistério do Evangelho é Cristo habitando no coração? Que Ele está à porta do coração para entrar? Não é suficiente isso? Sim, mas o que acontece quando Cristo entra no coração? Notemos o que Deus disse aos hebreus: Heb 10: 16: “Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei.”

Coração e Mente são a mesma coisa. Então, o que acontece quando Cristo entra no coração? Ele leva consigo a Lei e grava essa Lei em nossa mente, em nosso coração. Esta é a Sua Aliança: Se permitirmos que Cristo entre em nosso coração, Ele imprime a Sua Lei nas tábuas sensíveis de nosso coração, em nossa mente. Então, começa a transformação na vida toda.

Jesus Cristo nunca entra no coração, sem levar a Sua Lei, porque a Lei de Deus é a revelação do Seu caráter. A Lei dos 10 Mandamentos são uma demonstração do caráter do Salvador. Ele entra no coração e na mente, e leva o Evangelho eterno com a Sua Lei eterna, e produz a maior revolução em toda a nossa vida.

É isso o que Ele espera de cada um de nós. Por quê? Porque quando somos salvos, passamos a guardar os Seus mandamentos, que são os mesmos mandamentos de Deus, porque Ele disse [Jo 10:30]: “Eu e o Pai somos Um”. Ninguém é salvo para continuar no pecado e na transgressão da Lei.      

Daí, podemos perguntar:

8. Qual é o verdadeiro Evangelho?

Apo 14:12: [Diz o apóstolo João, apresentando o povo de Deus dos últimos dias:] “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.

Note bem estes característicos do verdadeiro Evangelho:  

1. Primeiramente, lemos sobre os Santos. Santo significa separado. Estes santos são os cristãos verdadeiros, porque a Bíblia chama os cristãos de santos, porque foram separados do mundo e do mal. Aqui está o resultado visível do Evangelho eterno: pecadores são transformados em santos. Eles se separam cada vez mais do pecado e do mal, e se aproximam cada vez mais de Cristo e de Deus, através do Espírito Santo.

2. A Perseverança. Eles foram transformados pelo Evangelho e perseveram, mesmo quando perseguidos ou tentados a praticar o mal e o pecado.  Disse Jesus Cristo: “Por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos. Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo.” Mt 24:12-13.

3. A em Jesus Cristo. Fé em Cristo é o início de seu relacionamento com o Salvador. Fé não significa apenas acreditar em Cristo ou em Deus. Fé significa um estreito relacionamento com Jesus Cristo. Disse Paulo que a salvação vem pela graça mediante a fé: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.” [Efé 2:8-9].

4. A Obediência a todos os Mandamentos de Deus. Eles obedecem ao Senhor. Eles respeitam a eterna Lei de Deus. Eles não obedecem para se salvar, mas porque já foram salvos. Eles creem na doutrina da Justificação pela fé que os habilita a guardar todos os mandamentos de Deus. Eles sabem que a fé sem obras é morta. A obediência é o resultado da salvação, não a causa. Foi o próprio Cristo que disse ao jovem rico: “Se queres entrar na vida [eterna], guarda os mandamentos.” Mt 19:17.

Portanto, o verdadeiro Evangelho é o poder de Deus para a salvação daquele que crê, e persevera em guardar os mandamentos de Deus, mesmo na perseguição dos inimigos.

Mas, perguntamos ainda:

9. De acordo com o Apocalipse, o que Jesus fez na Cruz?

Ap 1:5: “Jesus Cristo, ... que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados.”

Vimos, na palestra anterior, que a maior dificuldade para   compreender o amor de Jesus Cristo é que a Majestade do Céu conhecendo-Se a Si mesmo nos amasse. Agora, vemos outra grande dificuldade: É que este majestoso Deus nos amasse conhecendo-nos a nós também.

Ele sabe de nossas traições à semelhança de Judas e nos ama. Ele conhece as nossas negações como Pedro, e ainda nos ama. Ele conhece as vezes em que O abandonamos, à semelhança dos demais discípulos e ainda nos ama. Conhece todos os nossos pecados e ainda nos ama.

Paulo expressa a admiração e dificuldade deste amor, nestas palavras, de Rom 5:7-8: “Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer. Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.” Sendo nós pecadores, e Ele o Santo de Deus, ainda nos amou.

A base do Evangelho é o amor de Deus e de Cristo. Aqui está o Salvador Jesus Cristo com o Seu amor tão grande por você e por mim, a ponto de dar a Sua vida por nós e derramar o Seu sangue para nos libertar dos nossos pecados.

Aqui está o fundamento do Evangelho eterno:

1. Ele nos ama

2. Ele morreu por nós

3. Ele nos libertou dos nossos pecados.

Mas alguém poderia perguntar: Não existem outros salvadores, pessoas que intercedem por nós, como os santos no Céu? Pedro responde a esta pergunta dizendo: “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do Céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.” Atos 4:12.

Jesus Cristo é o nosso único Salvador, e intercede por nós no Céu, e portanto existe um só Mediador, como está escrito: “Há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem.” [1Tim 2:5].

Mas, Por que só há um Salvador e um só Mediador? O Apocalipse responde que Jesus Cristo é o Único digno porque morreu por nós e nos comprou para Deus. Ap 5:9 diz dirigindo-se a Cristo: “Digno és ...porque foste morto e com o Teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação.” Aí está: Pedro, Tiago, João, a virgem Maria não podem nos salvar e nem interceder, porque não morreram por nós. Jesus é o único Salvador e o único Mediador, porque só Ele morreu para nos libertar. Ele nos comprou com o Seu próprio sangue.

Ademais, não existe ninguém em todo o Universo como Jesus, com a natureza divina e humana, ao mesmo tempo. Como Ele é Deus, pode falar diretamente a Deus. Como Ele é Homem, pode nos representar, e interceder em nosso favor diante de Seu Pai, apresentando o argumento poderoso de Sua morte na Cruz. Com Seu braço divino, alcança o Pai; com Seu braço humano, alcança a nós. Assim, Ele Se fez o Pontífice entre nós e Deus. Ninguém mais pode fazer isso no Céu, além de Cristo.   

10. Então, O que devemos fazer para nos salvar?

Pedro respondeu a esta pergunta, dizendo: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo.” Atos 16:31. Crer em Jesus é o primeiro passo. Mas Cristo também disse ao jovem rico: “Se queres entrar na vida, guarda os mandamentos.” Mt 19:17. Então, primeiro, cremos em Cristo e somos salvos. Depois, como um resultado, guardamos os Seus mandamentos, como expressão de nosso amor, e Deus nos considera dignos para entrar na vida eterna.   

Esta é a mensagem do Apocalipse para os nossos tempos: Crer em Jesus Cristo, guardar os mandamentos de Deus, e perseverar neste propósito, até o fim. Então, seremos contados por Deus entre os verdadeiros cristãos. Então, Deus dirá um dia de nós: “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Ap 14:12.

Mas também temos a mensagem do Arrependimento. O Apocalipse descreve uma classe de pessoas que mesmo diante das 7 Pragas não se arrependeram das suas obras más, porque já era tarde demais; mesmo se quisessem não poderiam voltar atrás e se arrepender. Estarão perdidos para sempre. [Ap 16:9,11]. Não queremos que isto aconteça conosco, não é verdade? Então, o que devemos fazer?

Apo 2:5: “Lembra-te de onde caíste e arrepende-te.” É a mensagem urgente de Jesus no Apocalipse.

O arrependimento faz parte do Evangelho. Disse Pedro: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados.” [Atos 3:19]. Arrependimento é tristeza pelo pecado e afastamento do mesmo.  Conversão é dar meia volta, e deixar a vida de pecado. Para isto, é necessário o Reconhecimento do pecado e a Confissão dele, para si mesmo e para Deus. Confissão auricular não é ensinada na Bíblia. Ninguém precisa confessar para homens os seus pecados, porque só Deus pode perdoá-los.

Então, amigo, aceita a Cristo como o seu Salvador pessoal, antes que seja tarde demais.

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.” [Rom 6:23].

Não deixe para depois. Aceite o oferecimento da vida eterna agora mesmo.

Esta é a mensagem de Deus para você. Esta é a mensagem do mistério do Evangelho no Apocalipse, agora revelado. Basta crer e aceitar.

Pr. Roberto Biagini
prbiagini@gmail.com  
Voltar para o conteúdo