Estudo 05 - O Mistério das Cartas I (Ap 2) - Estudos Bíblicos Adventistas

Estudos Bíblicos Adventistas
Ir para o conteúdo

Estudo 05 - O Mistério das Cartas I (Ap 2)

Mistérios do Apocalipse
Todo o Livro Sagrado pode ser chamado carta do Céu ao homem. Num sentido especial, porém, as Cartas de Cristo à Igreja são as Cartas que Ele dirigiu a 7 igrejas da Ásia mediante o apóstolo João.  

 
Ásia designa a província romana situada na parte ocidental do que é hoje a Turquia asiática. As igrejas escolhidas eram sete e estavam localizadas nas seguintes cidades: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia.  

 
As mensagens dirigidas às 7 igrejas evidentemente têm aplicação tríplice:

 
1. Cada uma delas aplica-se à igreja local a que foi dirigida;

 
2. Aplica-se a uma certa fase da Igreja Universal.

 
3. Também pode se aplicar a nós individualmente. Noutras palavras: Em nosso tempo, você pode aplicar as mensagens a você mesmo. Mas a aplicação principal da profecia se refere às condições existentes em 7 Períodos Sucessivos da História da Igreja Cristã, desde os dias dos apóstolos até a Segunda Vinda de Cristo. A principal razão disso é que a profecia do Mistério das 7 Cartas se cumpre com perfeição na história da Igreja Universal.  

 
 
I – A primeira carta de Cristo é dirigida à igreja de ÉFESO.

 
[O Tempo dos Apóstolos: 31-100 d. C.]

 
Esta carta apontava ao estado espiritual da congregação cristã existente na cidade do mesmo nome. Ao tempo de João, Éfeso era importante centro comercial e algum tempo mais tarde veio a ser a capital da província.

 
Qual é o Significado? Éfeso significa "Desejável".

 
E o Período? Sendo a primeira das 7 igrejas, representa a primeira fase, o primeiro período da Igreja cristã, de 31 a 100 d.C. Esse foi o tempo em que a igreja contou com a presença e ação dos apóstolos. Foi uma Era de Pureza Doutrinária – de elevadas normas de vida individual e assinalado zelo missionário – todas as coisas que são desejáveis aos olhos do Céu.

 
A carta a Éfeso é aberta com as palavras:

 
Apo 2:1"Ao anjo da igreja em Éfeso escreve: Estas coisas diz Aquele que conserva na mão direita as sete estrelas e que anda no meio dos sete candeeiros de ouro."

 
As estrelas são simbólicas dos ministros, dos pastores da igreja cristã. O número 7, nas Escrituras, representa plenitude. As 7 estrelas representam os pastores, os dirigentes da Igreja Universal em todos os tempos. (Apo. 1:20). Esses pastores do rebanho são conservados à mão direita de Cristo. O Salvador vela por eles. Assiste-os em sua pesada tarefa de alimentar, guiar e guardar Suas ovelhas.

 
Que segurança e animação para o verdadeiro pastor do rebanho de Deus saber que o Supremo Pastor está sempre ao seu lado!

 
Jesus declara também que anda no meio dos 7 candeeiros. Os candeeiros são símbolos das 7 igrejas (Apo. 1:20), que representam a Igreja Universal. Assim o Salvador não só tem junto de Si os pastores do rebanho: Ele mesmo anda no meio da igreja nutrindo-a, confortando-a, sustendo os Seus filhos em toda hora difícil. E assim, por detrás e acima do pastor humano está o Pastor divino. Se o humano falha, nunca porém o Divino. A promessa de Cristo, ao deixar o mundo, foi: "Eis que Eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos." Mat 28:20.

 
Qual é o Elogio? Como Aquele que conhece perfeitamente a condição da igreja e de cada indivíduo, Jesus diz: "Conheço as tuas obras. Esta frase Ele emprega quanto a cada uma das igrejas. Deus conhece o zelo e obras de Seus filhos. Se O servimos com fidelidade, Ele o sabe. Deus sabe o que fazemos por amá-Lo, aprecia-o e dá recompensa. As profundezas de cada coração estão abertas à inspeção de Deus. Toda a ação, propósitos, palavras, são tão distintamente observados como se houvesse unicamente um indivíduo em todo o universo.  

 
Apo 2:2 e 3. E continua, falando a Éfeso, “Conheço”, disse Cristo, "tanto o teu labor, como a tua perseverança, que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos; e tens perseverança, e suportaste provas por causa do Meu nome, e não te deixaste esmorecer."

 
Cristo conhece a nossa perseverança. Ele valoriza esse característico em todas as fases da igreja.

 
Homens maus.” Pessoas oponentes de dentro e fora da igreja. Como Ananias e Safira, Simão o mago de Samaria, Himeneu, Alexandre e Fileto, mencionados por Paulo, e Diótrefes, mencionado por João [3Jo 9].

 
Falsos apóstolos”, falsificadores da Palavra de Deus, “obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo”. Como houve naquele tempo, a história hoje se repete.

 
Qual foi a Censura, a repreensão de Cristo? Nem tudo estava bem naquela fase da igreja. Versículo 4: "Tenho, porém, contra ti," declara Jesus, "que abandonaste o teu primeiro amor."

 
Com o passar dos anos a igreja primitiva perdeu o amor que teve a princípio. Evidentemente os movimentos heréticos, combatidos pelos apóstolos, criaram facções e semearam o erro, em certa medida. Como resultado, diminuiu o amor de muitos para com os demais seguidores de Cristo, para com a pura doutrina do Céu e para com Deus. Ao findar o primeiro século, a igreja não era mais aquela que havia sido ao nascer.

 
Nunca o amor do cristão para com Deus e os ensinos do Céu deveria ser menor no presente do que foi no passado. Não há razão para que o amor esfrie. O amor de Deus é constante, e a ventura de servir ao Senhor deve e pode crescer sempre.

 
Como é com você, meu amigo? Você ama a Deus hoje mais do que antes? Ou porventura você já O amou mais do que agora?

 
Após censurar a condição de Seus filhos que deixaram seu primeiro amor, disse Jesus – e estas palavras se aplicam a quem quer que O tenha deixado, em qualquer tempo:

 
Versículo 5: "Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te, e volta à prática das primeiras obras."

 
O ponto falho era ter sido deixado o primeiro amor. O convite do Senhor é para voltar às primeiras obras. O verdadeiro amor para com Deus manifesta-se em obras, obras de amor, de conformidade com a Lei do amor. "Se Me amais," disse Jesus, "guardareis os Meus mandamentos." João 14:15.

 
Contudo, os cristãos de Éfeso e do seu período, tinham mais esse ponto em seu favor: Verso 6: "... odeias as obras dos nicolaítas, as quais," disse Jesus, "Eu também odeio."

 
Os Nicolaítas, formavam uma seita [gnóstica] cuja doutrina pregava o panteísmo, que ensina que Deus está em tudo, destruindo a Sua Personalidade. Além disso, negavam a Divindade de Cristo. Diziam também que as obras da carne não contaminam o espírito, e, portanto, não interferem na salvação. Reinava entre eles a libertinagem e a exaltação do adultério. Era uma mistura de idéias cristãs com idéias da filosofia grega.

 
Qual é a promessa? A carta a Éfeso termina com uma promessa ao vencedor:

 
Apocalipse 2:7"Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor, dar-lhe-ei que se alimente da Árvore da vida que se encontra no Paraíso de Deus."

 
A árvore da vida possui, da parte de Deus, a virtude de perpetuar a vida. Ter o direito de comer os seus frutos significa direito à vida imortal. Os que, pela graça do Céu, vencem o pecado permanentemente, viverão para sempre.

 
 
II – A segunda carta de Cristo é dirigida a ESMIRNA.

 
[O Tempo dos Mártires: 100-313 d.C.]

 
Qual é o Significado? A palavra Esmirna significa "mirra", que é uma planta que, quando esmagada, solta uma resina que se queimava como incenso aromático. Como tal Esmirna era apropriado símbolo da resignação dos cristãos frente às perseguições que sofreram durante a segunda fase da história da igreja, a chamada Era do Martírio.

 
Qual foi o Período? Esse tempo foi de 100 – 323 d.C.

 
Foi a Era das Perseguições de Roma, causadas evidentemente pelo receio que tinham os imperadores de que o rápido crescimento do Cristianismo levá-lo-ia a conquistar o Império. Com efeito, no começo do quarto século a metade da população era cristã, e ao findarem os primeiros 500 anos, tanto o governo como a maioria dos habitantes do Império eram professos seguidores de Cristo.

 
Primeiro vieram as perseguições casuais dos imperadores Trajano, Adriano e Marco Aurélio. Então as generalizadas, pelo imperador Décio, que no ano 250 decretou a supressão universal do Cristianismo pela tortura, morte e confiscação de propriedades. A forma generalizada de perseguição foi mantida por Valeriano e atingiu seu clímax pelo imperador Dioclesiano [284-305 d.C.].

 
Temos algum Elogio? Aos cristãos de Esmirna Jesus Se dirige com as palavras: Versículo 9"Conheço a tua tribulação, a tua pobreza, más tu és rico."

 
Aparentemente a congregação de Esmirna era pequena e não tão próspera como a de Éfeso. Eram pobres em bens deste mundo. Não obstante eram ricos – ricos na fé, no amor, na paz, na esperança de coisas melhores, coisas eternas. Esta espécie de riqueza é a riqueza que realmente vale e é a única que permanece.

 
O apóstolo Tiago diz: "Ouvi, meus amados irmãos. Não escolheu Deus os que para o mundo são pobres, para serem ricos em fé e herdeiros do reino que Ele prometeu aos que O amam?" Tia 2:5.

 
A idéia central da carta a Esmirna está nas palavras:

 
Apo 2:10"Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o Diabo está para lançar em prisão a alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de 10 dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida."

 
Os cristãos de Esmirna teriam uma tribulação de 10 dias. Estes dias são dias proféticos e representam anos literais: a igreja teria 10 anos de tribulação. A mais violenta fase da tribulação foi a dos anos 303 a 313, no tempo de Dioclesiano e Galério.

 
Um Decreto baixado em 303, o Edito de Nicomédia, assinado pelo imperador Dioclesiano e Galério, personagem influente do governo, era um decreto de perseguição contra os cristãos, ordenava a destruição dos templos, a queima dos Livros Sagrados, a prisão, a tortura e morte dos lideres das igrejas cristãs.

 
Então, começou a tempestade da perseguição, desde a Inglaterra até a Arábia, chegando ao Oriente, onde havia o maior número de cristãos. Tortura e morte se aplicaram. Por vezes houve matança geral. O templo de Nicomédia foi incendiado com 14.000 cristãos dentro, queimados vivos. Uma cidade cristã da Ásia Menor foi cercada por soldados e queimada com todos os seus habitantes.

 
No entanto, No ano 313, o imperador Constantino [312-337] baixou o Edito de Milão, que concedia liberdade religiosa para os cristãos, e assim cessou a perseguição da igreja. Antes o Cristianismo era uma religião ilegal; daí em diante era reconhecida pelo Estado. Numa batalha, ele teve a visão de uma Cruz e se “converteu” como cristão, e proclamou o Cristianismo como a religião do Estado.

 
Mas era uma conversão insincera, com o objetivo de ganhar popularidade em seu reino. Disse o Senhor Jesus: “Conheço a blasfêmia dos que a si mesmos se declaram judeus, e não são, sendo, antes, sinagoga de Satanás.” [2:9] Judeus são aqui símbolos de israelitas espirituais, ou cristãos. Dizer-se cristão e não ser é considerado blasfêmia diante de Deus, porque toma o Seu santo nome em vão. Sinagoga de Satanás é a igreja do inimigo, e da falsidade.

 
Aos cristãos que passariam pela fornalha da perseguição e morte, Jesus Se dirige como "o Primeiro e o Último, que esteve morto e tornou a viver." Apo 2:8. O Salvador Se apresenta como Alguém que passou por prova idêntica à de Seus seguidores – e muito mais severa – e tem experiência para consolar e poder de restituir a própria vida. Cristo esteve morto, numa hedionda Cruz, mas ressuscitou pelo Seu próprio poder. Ele erguerá da tumba a todos os Seus seguidores.

 
Sendo assim, Qual é a Maior Promessa de toda a Bíblia? Como o Vencedor da morte, Cristo diz a Esmirna e a todos quantos O servem: Verso 10: "Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida." O Salvador Jesus Cristo é o único que pode dar ao homem mortal a consolação da vida eterna.

 
A carta a Esmirna, a Fase do Martírio, encerra-se com uma nova palavra de ânimo, uma nova promessa do Doador da vida: Verso 11"O vencedor, de nenhum modo, sofrerá dano da segunda morte."  

 
A primeira morte é a porção de todos os homens – justos e injustos. Mas dela todos ressuscitarão para recompensa. Da segunda morte não haverá ressurreição. Ela será a extinção final do pecado e do pecador.

 
A segunda morte, porém, não atingirá o justo, o vencedor. O mal poderá privar o cristão de bens transitórios: de dinheiro, de casas ou terras, da própria vida presente. Mas não está a seu alcance impedir a posse e gozo dos bens eternos - a herança do reino celeste.

 
Porventura servir ao Senhor é para você causa de dificuldade, talvez de duras provas? Esta foi a experiência dos cristãos de Esmirna. Então a você , como a eles, o Consolador divino diz: "Não temas as coisas que tens de sofrer...," "sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida."

 
Se, por amor de Cristo, você tiver de sofrer aflições, de provar a própria morte, Ele que também foi morto por causa de nossa Redenção, está vivo para todo o sempre. E, “se Eu vivo”, disse Cristo, “vós também vivereis.” [Jo 14:19].  

 
 
III – A 3ª carta foi dirigida à igreja de PÉRGAMO.

 
[O tempo da Apostasia: 313-538 d. C.]

 
Pérgamo era a capital da província da Ásia ao tempo do apóstolo João, e era uma cidade ilustre. A sua biblioteca chegou a ter 200.000 manuscritos. Foi nessa cidade que nasceu e foi educado Galeno, por muitos considerado o mais famoso médico da antiguidade.

 
Qual é o Elogio? Falando à igreja de Pérgamo, disse Jesus:

 
Apo 2:13"Conheço o lugar em que habitas, onde está o trono de Satanás, e que conservas o Meu nome, e não negaste a Minha fé, ainda nos dias de Antipas, Minha testemunha, Meu fiel, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita."  

 
Pérgamo tinha a distinção negativa de ser o trono de Satanás. Além de capital política, ela era a capital religiosa da Ásia, um centro de idolatria. Aí se estabeleceram as religiões de mistério, oriundas do Oriente. Aí foi edificado um templo para o culto da deusa Roma e também do imperador Augusto.

 
Antipas era um cristão que foi martirizado por sua fé, e se negou a adorar um imperador romano, durante uma das muitas perseguições contra os cristãos. Antipas representa uma hoste inumerável de cristãos fiéis que selaram a sua sorte com Cristo, derramando o seu sangue por amor dEle.

 
Qual é a Repreensão? Versículo 14. A repreensão a essa igreja era por ter ela no seu meio "os que sustentam a doutrina de Balaão, o qual ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição."

 
Balaão era um profeta apostatado que por amor ao ganho material e atendendo a instâncias de Balaque, rei de Moabe, procurou levar o povo de Deus a perverter-se, comendo coisas sacrificadas aos ídolos e prostituindo-se com as mulheres moabitas (Núm 25). Havia práticas semelhantes entre os cristãos de Pérgamo.

 
Qual é o Significado? A palavra Pérgamo quer dizer "Elevação" e decorre por certo de uma alta colina da cidade, no cimo e encostas na qual foram construídos os edifícios públicos e templos.

 
E o Período? Historicamente Pérgamo cobre o período que se seguiu desde a conversão de Constantino, de 323, até o estabelecimento do Papado em 538. A experiência característica da igreja nesse período foi de exaltação. De perseguida, passou ela a ter o favor do Estado. Foi a Era da Popularidade.

 
O imperador romano Constantino, mais político do que cristão, viu nos cristãos, que ao seu tempo já eram a metade da população do império, uma força capaz de contribuir para a sua estabilidade política. Estendeu favores à igreja. Com o mesmo fim em vista, misturou Paganismo com Cristianismo, num esforço para unir os diversos elementos do império.

 
Tendo a igreja alcançado uma posição vantajosa, no governo, o próximo passo foi consentir na introdução de ideias e práticas estranhas aos ensinos de Cristo.

 
Então, as imagens de escultura foram introduzidas nos templos, e o sábado foi substituído pelo domingo, com base num Edito de Constantino que legislava a santificação do Domingo, como o dia do Sol, em março de 321, para todos os cristãos. Ademais muitos dos ritos e cerimônias pagãs foram gradualmente introduzidas na igreja. Desta maneira, o enfraquecimento e destruição da igreja, que Satanás não conseguiu pelo fogo da perseguição, alcançou pelo favor do mundo.

 
A segurança do cristão e da igreja está em guardar-se do mundanismo e ater-se aos ensinos do Céu. Enquanto a igreja preservou a pureza da religião cristã, ela ficou de pé. Nem a fúria do mais poderoso império da antiguidade conseguiu derrotá-la.

 
Mas ao vir a fase do favor – a proteção do Estado, as posições elevadas, a prosperidade material – a Igreja abriu as portas ao mundo e na medida em que se identificou com ele, apartou-se de Deus.

 
A experiência da maioria dos membros da igreja nessa fase de sua história põe em destaque esta advertência de João:

 
IJoão 2:15-17"Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo; ... Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente."

 
Qual é o Conselho de Jesus à Igreja de Pérgamo? Apo 2:16"Portanto, arrepende-te; e se não, venho a ti sem demora, e contra eles [os nicolaítas] pelejarei com a espada da Minha boca." Cristo já Se apresentara no início desta carta como “Aquele que tem a espada afiada de dois gumes.” [v 12].

 
A espada é símbolo da Palavra de Deus. Disse o apóstolo Paulo, em Heb 4:12: “A Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito... e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração.”

 
Um pouco do mundo na religião – das idéias humanas, das práticas do pecado – desvirtua a religião. Por isso o conselho de Cristo: "Arrepende-te" – abandone o erro, volte ao puro ensino do Céu.

 
Se não nos arrependemos de nossos pecados, a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus nos alcançará, e o que poderemos fazer? O arrependimento deve ser sentido antes que seja tarde demais.  

 
Qual é a Promessa do Senhor a essa fase da igreja?

 
Versículo 17"Ao vencedor dar-lhe-ei do maná escondido, bem como lhe darei uma pedrinha branca, e sobre essa pedrinha escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe."

 
O maná escondido é o pão do Céu, a Palavra de Deus, o  alimento espiritual que garante a vida eterna aos que nEle crêem. Por que está escondido? Porque a Palavra é como um tesouro que está debaixo da superfície da terra, e precisamos cavar para consegui-lo.

 
A pedrinha branca é uma referência às 12 pedras da estola sacerdotal, que continha os nomes dos filhos de Israel. Mas aqui cada cristão recebe uma pedrinha branca. O branco é símbolo de pureza. O novo nome é simbólico do caráter puro que alcançamos em Cristo, no processo de preparação para o Céu. Só aquele que passou por sua experiência particular pode entender e apreciar o novo nome, a ser conferido no mundo vindouro.

 
 
IV – A seguinte carta é dirigida a TIATIRA, a menos notável das 7 cidades.

 
[O Tempo do Papado: 538-1517 d. C.]

 
Qual é o Significado? Tiatira quer dizer "Sacrifício de Contrição".

 
E qual é o Período? Historicamente Tiatira representa o período da Idade Escura, ou a Idade Média. Essa fase da história da igreja pode ser chamada Era do Papado e da Inquisição. Estendeu-se de 538 a 1517 d. C. Esta foi uma época em que houve um “sacrifício da contrição” dos cristãos.

 
Durante o período de Tiatira certas más tendências dos primeiros séculos se tornaram dominantes. As Escrituras Sagradas tomaram-se desconhecidas dos cristãos em geral e o erro, consequentemente, se impôs. A salvação pelas obras estabeleceu-se como ensino do Céu. Um sacerdócio humano substituiu o sacerdócio de Cristo.

 
Qual é a Reprovação? Diz o divino Autor da carta a Tiatira:

 
Apo 2:20"Tenho, porém, contra ti o tolerares que essa mulher, Jezabel, que a si mesma se declara profetisa, não somente ensine, mas ainda seduza os Meus servos a praticarem a prostituição e a comerem coisas sacrificadas aos ídolos."

 
Jezabel, mulher de Acabe, rei de Israel, instituiu o culto de Baal entre o povo e instigou o marido para fazer pecar a nação. (IReis 21:25 e 26). Mulher em profecia é símbolo de igreja.  “Prostituição” é a união ilícita de Igreja com o Estado. “Comer coisas sacrificadas aos ídolos” é símbolo de idolatria na Igreja. Jezabel é símbolo da Igreja apostatada da Idade Média, que desviou os cristãos da Lei de Deus, levando-os à união com o Estado e à transgressão dos mandamentos de Deus.

 
Qual é o Elogio? Havia em Tiatira muita coisa reprovável, mas havia também muitas coisas boas. Disse Jesus:

 
Verso 19 "Conheço as tuas obras, o teu amor, a tua fé, o teu serviço, a tua perseverança e as tuas últimas obras, mais numerosas do que as primeiras."

 
Nem todos, nessa fase da igreja, haviam deixado a doutrina apostólica. Os que se apegavam aos ensinos do Céu haviam crescido no amor, na fé, no serviço, na perseverança.

 
O Autor da carta anima os verdadeiros cristãos de Tiatira a perseverar no Caminho: Verso 25 "Tão-somente conservai o que tendes, até que Eu venha." O que é que temos? Temos a Verdade que Cristo nos outorgou através do Espírito da Verdade; temos a Salvação através do sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário; temos a esperança da Volta de Cristo; temos vida eterna desde que cremos em nosso Salvador. Temos que conservar tudo isso, até que Ele venha nos buscar.   

 
Não é fácil servir a Deus neste mundo hostil. Mas na força de Deus, podemos fazê-lo. Como está escrito: "Tudo posso naquele que me fortalece." Fil 4:13.

 
Qual é a Promessa?

 
Apo 2:26 e 27 "Ao vencedor, e ao que guardar até ao fim as Minhas obras, Eu lhe darei autoridade sobre as nações, e com cetro de ferro as regerá, e as reduzirá a pedaços como se fossem objetos de barro."

 
Essa obra de reduzir a pedaços os reinos do pecado será executada por Cristo, no fim da História. Mas Cristo estará com os justos, que também são os vencedores. Lemos em Ap 17:14: “Pelejarão eles [os ímpios] contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, ...vencerão também os chamados, eleitos e fiéis que se acham com ele.”  

 
 
Então, meu prezado amigo: Já se entregou a Jesus Cristo? Já O recebeu como Salvador pessoal? Somente assim poderemos vencer com Cristo, e herdar a vida eterna.

 
Disse Cristo: "Tão-somente conservai o que tendes, até que Eu venha." Vamos conservar a verdade santa que nos dá a maior esperança da vida eterna através de nosso Senhor a Quem obedecemos pela fé.

 
Cristo logo virá, a fim de buscar os Seus escolhidos. Vamos conservar a gloriosa Verdade que temos e preparar-nos para um dia alcançar a vitória final contra o pecado e os inimigos de Deus.

 
 
Pr. Roberto Biagini
 
prbiagini@gmail.com
Voltar para o conteúdo