Estudo 11 - O Mistério do Domingo - Estudos Bíblicos Adventistas

Estudos Bíblicos Adventistas
Ir para o conteúdo

Estudo 11 - O Mistério do Domingo

Mistérios do Apocalipse
Hoje vamos estudar um dos assuntos mais polêmicos do Cristianismo. Vamos estudar sobre o Mistério do Domingo. Há algum mistério nessa palavra? Aparentemente, não há mistério nenhum. Mas, se a Bíblia ordena a santificação do Sábado; então, por que a Cristandade santifica o Domingo? Se Deus ordenou a observância do Sábado, como é que temos o costume de se guardar o Domingo? Católicos e Protestantes hoje guardam o Domingo. Mas, por que eles observam o Domingo? Este é o mistério.

 
O grande mistério de Satanás é como ele pode fazer uma coisa errada parecer certa. A Bíblia chama isto de “mistério da iniquidade” [2Tes 2:7]. No jardim do Éden, o Diabo fez que a transgressão da Lei de Deus parecesse a coisa mais certa do mundo. E Eva, encantada como seus enganos, vacilou e pecou contra Deus e influenciou o marido Adão para que fizesse a mesma coisa errada, como se fosse certa.

 
Uma das grandes profecias do Apocalipse trata da observância do Domingo, mas não esta­belece sua santidade; ao contrário, reafirma a observância do sábado. Esta profecia, porém, será analisada em estudo posterior, sobre Apoc 13.

 
Mas, quem mudou o Sábado para o Domingo?

 
 
I - PERGUNTEMOS AOS LÍDERES DA IGREJA CRISTÃ

 
1. Perguntemos primeiro às 3 colunas da Igreja: Pedro, Tiago e João. O que vocês têm a dizer sobre a Lei de Deus: Há alguma instrução do Céu para mudarmos a Lei dos Dez Mandamentos?

 
Pedro responde, dizendo em 2Ped 2:1: “Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.”

 
Pedro não fala de alguma mudança por parte dele, mas só por causa de falsos mestres, que haveriam de introduzir heresias destruidoras. De que modo? Dissimuladamente, ou seja, oculta e sorrateiramente, disfarçando as coisas erradas a fim de que pareçam certas.

 
Tiago responde, em Tia 2:10: “Qualquer que guarda toda a Lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos.” Então, Tiago, falando dos Dez mandamentos, disse que se nós deixarmos um só dos mandamentos, nos tornamos culpados de todos. Então, tirar um só, é tirar todos. Se cortarmos um só elo da corrente, a corrente estará quebrada, e caímos.

 
Este foi o grande plano de Satanás: Se ele conseguisse tirar somente o Sábado dos cristãos, logo eles estariam transgredindo a Lei toda. Então, desligados de Deus, começariam a inventar filosofias e logo estariam dizendo que não houve uma Criação, houve uma Evolução. Se é assim, então, os cientistas estão certos. Daí vem a apostasia.

 
Mas, o que tem a dizer João, o apóstolo do amor? Ele disse: “Amados, não vos escrevo mandamento novo, senão mandamento antigo, o qual, desde o princípio, tivestes...” “Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; ora, os seus mandamentos não são penosos.” [1Jo 2:7; 5:3].

 
Mas, perguntemos agora ao apóstolo Paulo que teve uma visão de Jesus Cristo na estrada de Damasco, depois de todos os outros apóstolos. Será que ele tem alguma novidade? Paulo, poderia nos dizer se a fé que nos justifica anula a Lei? Responde ele com a mesma pergunta: “Anulamos ... a lei pela fé? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmamos a lei.” [Rom 3:31].    

 
Mas, se Pedro, Tiago, João e Paulo não autorizaram nenhuma mudança da Lei, o que poderia dizer o Maior Líder da Igreja, Jesus Cristo? Senhor, poderíamos sequer pensar que Tu vieste mudar a Lei? “Não penseis que vim mudar a Lei ou os Profetas; não vim para mudar, vim para cumprir.” [Mat 5:17]. Então, o próprio Cristo estabelece a Lei e ainda diz: “Se queres entra na vida, guarda os mandamentos.” [Mat 19:17].

 
Portanto, Cristo não mudou o Sábado. Pedro, Tiago e João não mudaram o Sábado. Paulo não mudou o Sábado.

 
2. Então, o que fizeram os Seus seguidores com a Lei do Sábado?

 
 
II - OS CRISTÃOS PRIMITIVOS GUARDARAM O SÁBADO

 
Perguntemos novamente a João em Patmos: Qual era o seu dia de guarda? Resposta em Apo. 1:10: “Achei-me em espírito, no dia do Senhor, e ouvi, por detrás de mim, grande voz.” João se achava em comunhão com Deus no dia do Senhor e ouviu a voz de Jesus Cristo falando com ele. No dia do Senhor.

 
Mas, qual é o Dia do Senhor? Deixemos que o Senhor nos responda. Senhor, qual é o Dia do Senhor? “O Filho do Homem é Senhor do Sábado.” [Mat 12:8]. Ora, se Jesus Cristo é o Senhor do Sábado, então, qual é o Dia do Senhor? É o Sábado, não o Domingo. Portanto, João estava lá na ilha de Patmos, guardando o Sábado, e recebendo a Revelação do Apocalipse em pleno Sábado.

 
Que dia guardaram as mulheres seguidoras de Cristo? Luc 23:56: As mulheres “se retiraram para preparar aromas e bálsamos. E, no sábado, descansaram, segundo o mandamento.” Notou isso? As mulheres que seguiam a Cristo encerraram as suas atividades na sexta-feira e foram embora a fim de guardar o Sábado. Mas que Sábado? O Sábado, “segundo o mandamento”.  Mas, por que não continuaram a embalsamar a Jesus? Porque elas tinham que obedecer a Deus guardando o Sábado, “segundo  o mandamento”.  

 
Que dia guardaram Paulo e os seus companheiros?

 
Na cidade de Corinto, o apóstolo Paulo trabalhou durante um ano e meio fazendo tendas, 78 semanas (Atos 18:1-3, 11). O fato de que se dedicasse a uma atividade não religiosa durante este tempo prolongado, nos ajuda a descobrir o dia em que repousava. Que dia reservava Paulo para as atividades religiosas?

 
Atos 18:3, 4: “E, sendo que [Aquila e Priscila] eram do mesmo ofício, passou [Paulo] a morar com eles e ali trabalhava, pois a profissão deles era fazer tendas. 4  E todos os sábados discorria na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos.

 
Durante um ano e meio o apóstolo Paulo trabalhou fazendo tendas, porém estes 78 sába­dos dedicou-os à religião. O fato de que aos sábados pregava também aos gregos demonstra que não o fazia para contentar aos judeus, mas sim porque este era o dia de repouso, o dia do Senhor de­dicado à religião cristã. Todo o livro de Atos testifica que o apóstolo Paulo guardava o sábado. Por exem­plo: Atos 13:42, 44; 16:13.

 
Então, qual era o costume de Paulo? Seu costume era dedicar o sábado às coisas de Deus. Lemos em Atos 17:2: “Paulo, segundo o seu costume, foi procurá-los e, por três sábados, discorreu com eles acerca das Escrituras.

 
Mas, se o costume de Paulo era guardar o Sábado, indo às sinagoga, pregando a Palavra, Qual era o costume de Cristo?

 
Luc 4:16: “Indo [Jesus] para Nazaré, onde fora criado, entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume, e levantou-se para ler.” Então, Jesus, como Homem entre os homens, tinha o costume de ir à sinagoga, adorar, ouvir, ler e pregar a Palavra de Deus, e, portanto, o dia que o Salvador guardava era o Sábado. E Ele nos deixou o exemplo para seguirmos os Seus passos [1Ped 2:21]. E “aquele que diz que permanece nEle, esse deve andar assim como Ele andou.” [1João 2:6].

 
 
III - AS REUNIÕES NO 1º DIA DA SEMANA

 
Alguém deve estar se perguntando sobre as reuniões no primeiro dia da semana.

 
Centenas de versículos nas Escrituras Sagradas falam da santificação do sábado. Muitos cristãos que respeitam o domingo já quiseram ter a satisfação de ler em sua Bíblia alguma de­claração que dissesse "Santificarás o domingo", porém, não a encontraram. Ocorre-lhes então a pergunta: Será que este versículo não existe? O domingo constitui uma ordenança bíblica ou é somente uma tradição?

 
3. O que nos dizem as reuniões dos discípulos? Alguns cristãos pensam que essas passgens provam a santificação do Domingo.

 
Há 8 versículos do Novo Testamento em que se menciona o Domingo como o “1º dia da semana”. Vamos analisá-los, um a um, a fim de vermos o que eles estão realmente dizendo. Vamos descobrir se há neles alguma ordem para observarmos esse dia.

 
1. Mateus 28:1:  

 
2. Marcos 16:2:  

 
3. Marcos 16:9:  

 
4. Lucas 24:1:  

 
5. João 20:1:  

 
6. João 20:19:

 
Nesses versos, não há nenhuma ordem para se trocar o dia de guarda. O objetivo pelo qual estavam reunidos não era religioso. Diz ali [em João 20:19] que estavam com as portas trancadas com medo dos judeus. O medo não é um sinal de comemoração.

 
Não estavam comemoran­do a ressurreição, pois não criam que Jesus havia ressuscitado (Mar 16:11 e Luc 24:37). Como poderiam comemorar a Ressurrerição de Jesus, se eles ainda nem mesmo acreditavam nisso?

 
Para comemorar a ressurreição, Jesus estabeleceu o batismo por imer­são (Rom 6:3-6).

 
7. Atos 20:7: “No 1º dia da semana, estando nós reunidos com o fim de partir o pão, Paulo, que devia seguir viagem no dia imediato, exortava-os e prolongou o discurso até à meia-noite.

 
Partir o pão era coisa que eles faziam todos os dias. Atos 2:46. O motivo da reunião: Paulo tinha que viajar no dia seguinte. Nenhuma ordem para se guardar o Domingo.

 
8. 1Cor 16:2: “No 1º dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade, e vá juntando, para que não se façam coletas quando eu for.”  

 
Não fala de reuniões religiosas, mas de algo para se fazer em ca­sa. Nada mais.

 
Estes são todos os versículos que falam do 1º dia. Não há nenhuma passagem autorizando a mudança do Sábado para o Domingo.

 
 
IV - COMO SURGIU a Imposição do Domingo?  

 
Sendo que não existe um só versículo que ordene guardar o Domingo como dia santo de re­pouso, Como Surgiu a Imposição do Domingo?

 
Agora, temos que buscar a resposta na História.

 
A mudança do Sábado para o Domingo não foi repentina, mas gradual. Inicialmente, essa ideia era inteiramente desconhecida nos primeiros séculos do Cristianismo. [Diz o Dicionário de Antiguidades Cristãs, pág. 1.823].

 
4. Por quanto tempo o Sábado foi observado na Igreja Cristã?

 
Por muitos séculos. Efetivamente, sua observância jamais cessou in­teiramente na Igreja Cristã.

 
Diz o Sr. Morer, ilustrado clérigo da Igreja da Inglaterra: "Os primitivos cristãos tinham grande veneração pelo sábado e passa­vam o dia em devoção e sermões. E não é de duvidar-se que os próprios apóstolos tenham seguido essa prática." — Diálogos So­bre o Dia do Senhor, pág. 189.

 
"O sábado foi religiosamente observado na Igreja do Oriente, du­rante mais de trezentos anos depois da paixão do Salvador." — Learned Treatise of the Sabbath, pelo Prof. E. Brerwood, do Gresham College, Londres  (Episcopal), pág. 77.

 
5. Qual foi o 1º Decreto Dominical?

 
"A mais antiga documentação da observância do domingo como imposição legal é o edito de Constantino, em 321 A. D., que decreta que ... os habitantes das cidades e o comércio em geral, devessem repousar no domingo, o venerável dia do Sol. (venerabilii die Solis)" - Enciclopédia Britânica, nona  edição,  artigo  Domingo.

 
A Enciclopédia Americana diz a mesma coisa. [Artigo Sábado].

 
O decreto mais antigo, obrigando o povo a guardar o domingo é pagão, e foi assinado por Constantino no dia 7 de março do ano 321.

 
Diz a Enciclopédia de Chamber: "Inquestionavelmente a primeira lei, quer eclesiástica quer civil, pela qual se sabe haver sido ordenada a observância do repouso na­quela época, é o edito de Constantino, de 321 D.C." — Chamber's Encyclopedia, artigo Sábado.

 
6. Quais foram os passos seguintes no processo da mudança do dia de guarda?

 
"A igreja cristã não operou transferência formal de um dia para o outro, mas sim gradual e quase inconscientemente." — The Voice from Sinai, pelo Archdeacon F. W. Farrar, pág. 167.

 
A mudança do sábado foi o resultado dos esforços conjugados da Igreja e do Estado, e passaram-se séculos antes de ser inteiramente realizada.
 
Diz um historiador antigo:

 
“Em 364 DC, o Concílio de Laodiceia, abolindo a observância do Sábado, estabeleceu pela 1ª vez a observância do domingo para a Igreja”. [Dissertation on the Lord's Day Sabbath de Prynne, pág. 163].

 
"Em 386, sob Graciano, Valenciano e Teodósio, foi decretado que todo trabalho devia cessar no domingo ...

 
"Em 425, sob Teodósio, o Jovem, foi recomendada a abstenção de ir a teatros e circos aos domingos ...

 
"Em 538, no Concílio de Orleans, ... foi ordenado que ... houvesse abstenção do trabalho ... a fim de que o povo pudesse mais facilmente frequentar a igreja [no domingo]...

 
"Cerca do ano 590, o papa Gregório, em carta ao povo romano, denunciou como profetas do Anticristo os que ensinassem que não se devia trabalhar no sétimo dia." — Law of Sunday, por James T. Ringgold, págs. 265-267.

 
O último parágrafo da citação anterior indica que mesmo no avançado ano 590 D.C., havia na Igreja os que ensinavam a ob­servância do sábado bíblico, o sétimo dia.

 
7. A Igreja Católica reconhece a sua responsabilidade nessa mudança?

 
"Pergunta: — Como podeis provar que a Igreja possui poder de ordenar festas e dias santos?

 
"Resposta: — Pelo próprio ato da mudança do dia de descanso para o domingo, o qual todos os protestantes aceitam; e portanto, contradizem-se positivamente, observando estritamente o domingo, e violando a maioria dos outros dias de festas ordenados pela mes­ma igreja." — Abridgment of Christian Doctrine, pelo Rev. Henry Tuberville, D. D., do Douay College, França (1649), pág. 58.

 
"Pergunta: — Tendes qualquer outra maneira de provar que a Igreja tem poder de instituir festas por preceito?

 
"Resposta: — Não tivesse ela esse poder, e não poderia haver feito aquilo em que concordam todos os religionistas modernos — não poderia haver substituído a observância do sábado do sétimo dia da semana, pela do domingo, o primeiro dia, mudança para a qual não há autoridade escriturística." — Um Catecismo Doutrinal, pelo Rev. Stephan Keenan, pág. 174.

 
"A Igreja Católica, por sua própria infalível autoridade criou o domingo como dia santificado para substituir o sábado, da velha lei." — Kansas City Catholic, de 9 de fevereiro de 1893.

 
“A Igreja Católica ... em virtude de sua divina missão, mudou o dia de sábado para domingo." — Catholic Mirror, órgão oficial do cardeal Gibbons, de 23 de setembro de 1893.

 
"Pergunta: — Qual é o dia de descanso?

 
"Resposta: — O dia de descanso é o sábado.

 
"Pergunta: — Por que observamos o domingo em vez do sábado?

 
"Resposta: — Observamos o domingo em vez do sábado porque a Igreja Católica, no Concílio de Laodicéia (364 A. D.), transferiu a solenidade do sábado para o domingo." — The Convert’s Cateehism of Catholic Doctrine, pelo Rev. Peter Geierman, C. SS. R., pág. 50, terceira edição, 1913, obra que recebeu a "bênção apostó­lica" do papa Pio X, em 25 de janeiro de 1910.

 
"Nós, católicos, romanos, guardamos o domingo, em lembrança da ressurreição de Cristo, e por ordem do chefe da nossa igreja, que preceituou tal ordem do sábado ser do Antigo Testamento, e não obrigar mais no Novo Testamento." — Padre Júlio Maria, em Ataques Protestantes, pág. 81.

 
"Foi a Igreja Católica que, por autoridade de Jesus Cristo, trans­feriu esse descanso para o domingo, em memória da ressurreição de nosso Senhor; de modo que a observância do domingo pelos pro­testantes, é uma homenagem que prestam, independentemente de sua vontade, à autoridade da Igreja." — O Monitor Paroquial de 26 de agosto de 1926, Socorro, Estado de São Paulo.

 
 
8. O que dizem os Teólogos Protestantes?

 
Batistas. O Dr. Edward T. Hiscox, autor do Manual Batista, fêz perante um  grupo de pastores, a seguinte sincera admissão:

 
"Não existe prova escriturística da mudança da instituição do sábado do sétimo dia para o primeiro dia da semana.

 
"Sei perfeitamente ter o domingo entrado em uso, como dia religioso, na história cristã primitiva, ...assinalado com a marca do paganis­mo e batizado com o nome do deus do Sol, em seguida adotado e sancionado pela apostasia papal, e legado ao Protestantismo como uma doação sagrada." — De um Discurso feito em 13 de novembro de 1893.

 
Presbiterianos: - "O sábado cristão (domingo) não se encontra na Escritura, e não era pela Igreja primitiva chamado de sábado." — Tratado de Teologia de Dwight, Vol. 4, pág. 401.

 
Congregacionalistas: - "Não existe na Bíblia mandamento que requeira de nós a observância do primeiro dia da semana como sendo o sábado cristão." — Mode and Subjects of Baptism, por Fowler.

 
Episcopais: - "A festa do domingo, como todas as outras festivi­dades, foi sempre uma ordenança simplesmente humana, e estava longe das cogitações dos apóstolos estabelecer a este respeito uma ordem divina — longe deles e da primitiva Igreja apostólica trans­ferir para o domingo as leis do sábado." — The History of the Christian Religion and Church, Neander, pág. 186, tradução de John Rose, B. D., Filadélfia: James M. Campbell & C.°, 1843.

 
Metodistas: — "É certo não haver mandamento positivo para o batismo infantil... Tampouco o há para santificar o primeiro dia da semana." — Theological Compend (1902), Rev. Amos Binney, págs. 180 e 181.

 
Luteranos: — "A observância do dia do Senhor (domingo) não se baseia em nenhum mandamento de Deus, mas sim na autoridade da Igreja." — Augsburg Confession of Faith, citado em Cox's Sabbath Manual, pág. 287.

 
 
V - O QUE FAREMOS COM A VERDADE?

 
9. Deus aprova que se deixe de guardar um de Seus mandamentos a fim de substituí-lo por uma tradição?

 
Marcos 7:6-8: “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. 7 E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens. Negligenciando o mandamento de Deus, guardais a tradição dos homens.

 
10. Segundo o Apocalipse, qual é a característica dos verdadeiros cristãos, que serão selados como Selo de Deus?

 
Apocalipse 14:12: “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.”

 
Os verdadeiros cristãos serão assinalados pelo Selo de Deus, ao serem fiéis, perseverantes, mesmo em face de muitas tribulações, guardando os Dez mandamentos do Senhor, e tendo fé em Jesus Cristo [Apo 7:2-3].

 
11. Até quando continuará sendo guardado o sábado?

 
Isaías 66:22, 23: “Como os novos céus e a nova terra, que hei de fazer, estarão diante de mim, ... será que, ... de um sábado a outro, virá toda a humanidade a adorar perante mim, diz o Senhor.”

 
O profeta isaías disse que na Nova Terra, a cada sábado, todos os remidos vão adorar a Deus. O sábado será uma bênção por toda a eternidade. Esta bênção pode ser nossa desde agora. Podemos obter as bênçãos espirituais do santo Sábado, mesmo que muitos não estejam adorando a Deus no dia que Ele ordenou.

 
12. Qual deve ser a motivação para se guardar o sábado?  

 
Disse Jesus Cristo, João 14:15: “Se me amais, guardareis os meus mandamentos.” E os Seus mandamentos são os mesmos de Deus, porque Ele disse: “Eu e o Pai somos Um.” [Jo 10:30].

 
Estamos nós amando a Deus de fato e de verdade? Amamos a Jesus Cristo como o nosso Salvador e Senhor? Ou somos praticantes da verdade ou estamos nos enganando a nós mesmos. Você quer amar mais a Jesus Cristo?

 
 
Que Deus o abençoe a obedecer de fato a Deus.

 
Comece a guardar o santo Sábado. Peça forças de Deus. Busque a Igreja Adventista do7º Dia.

 
Seja mais feliz e tenha mais certeza de salvação, fazendo a vontade do Senhor.

 
Esteja certo de que você poderá participar dos 144.000 vitoriosos.

 
 
Pr. Roberto Biagini
 
prbiagini@gmail.com
 
Voltar para o conteúdo